EN-ENZINE DIARIUM AUTOPSIA: MR. BUNGLE INTERVIEW 92

 

diarium-autopsia-capa

mr-bungle-1

mr-bungle-2

source: ZINE DIARIUM AUTOPSIA: MR. BUNGLE. Interview

Anúncios

4.6 Happy Birthday Fucker – Patton e seus 40 e poucos anos

Mike Patton completa 46 anos

Desculpem o atraso na atualização da página. Você pode seguir as novidades ao dia seguindo-nos pela Fanpage com as postagens Especiais dos 46º aniversário de Mike Patton por Carolina Veronez.

patton youngDe mocinho tímido à maluco, Patton conserva referências que não se perderam em seus aproximados 30 anos de carreira musical. Mike Patton, já participou de dezenas de projetos alheios, em parcerias e ainda conta com os seus próprios projetos desde o Mr Bungle até os últimos projetos lançados tais como: Tomahawk e Mondo Cane. Já foi ator, compõe trilhas para jogos, film score, faz dublagens, compõe e ainda é empresário.  Patton oscila entre uma timidez de adolescente e o sarcasmo de um sábio ancião.  Quando seus primeiros anos como frontman do Faith no More, curtia uma Coca-Cola, jeito desengonçado e o atrevimento em jogar piadinhas à primeira dama da época, Rosanne Collor e atacar contra a reputação de Xuxa em seus shows e entrevistas. A Rainha dos Baixinhos e Altinhos ,musa global que monopolizava o mercado de tranqueiras da época. Desde uma sandália de plástico infantil até anéis de chiclete. Acho que é bem o perfil de postura que Mike Patton detesta.

Mike Patton fez e ainda faz muitos fãs felizes, mas dosou o sucesso explosivo até uma certa medida, decaindo quase que propositalmente com a qualidade de seus álbuns junto ao Faith no More. Ele não perdeu o talento, não subiu em um palco sequer para um show que decepcionasse, mas simplesmente mudou e a crítica musical não deixou passar e assim em 1997 após o disco “Álbum of the Year”, Patton seguiu por outras diretrizes, assim como os demais membros. Mas seguiu fazendo o mesmo, música. Quem sabe dessa vez um pouco mais para si próprio.

Continuar lendo

Rock in Rio II – 23 anos de Faith no More no Brasil

Um conto chamado Rock in Rio II com Faith no Morerock-in-rio-1991-1377053908267_1024x768

Coletiva Faith No More Rock in Rio II

 A Segunda Edição do Rock in Rio II, acontecia no início de 1991 e hoje, dia 20 completou 23 anos da primeira apresentação do Faith no More em terras Brasileiras. Precisamente no estádio do Maracanã, local escolhido para a segunda edição do RIR. Conhecido por suas diversas atrações musicais, futebolísticas e até religiosas.  O Estádio já contou com a presença de Prince, Madonna, Frank Sinatra, Kiss, Tina Turner, Gun´s Roses, Faith no More, Rolling Stones, Paul McCartney, Ivete Sangalo, entre outros.

O Estádio do Maracanã, ponto incluso como turístico no estado do Rio de Janeiro, passa por grande reforma para sediar o Campeonato Mundial de Futebol , ( World Cup 2014) daqui 5 meses aproximadamente.

As histórias se repetem 

…E foi pesquisando que descobri algo bem interessante, que SINCERAMENTE eu não sabia. Devo prestar mais atenção no que o  Guia Turístico falar na próxima visita ao Rio. Mas, consultei e vemos que diversas histórias do Brasil se repetem, ou apenas não mudam. O Estádio do Maracanã foi construído em 1950, justamente para sediar a Copa do Mundo devido a Europa estar com inúmeros problemas causados pela Segunda Guera Mundial. Porém teve sua obra contestada e foi vítima das diversas opiniões e queixas pelo dinheiro gasto em sua construção, assim como acontece agora. em sua reforma, 6 décadas depois para sediar a Copa do Mundo.

maracana

A Primeira edição do Festival aconteceu em Jacarepaguá, Rio de Janeiro. Passaram-se 6 anos para a segunda edição do festival que reuniu 42 bandas para um público de 700 mil pessoas.  Entre as 42 atrações algumas das bandas internacionais foram:

 A-HA, Billy Idol, Colin Hay, Debbie Gibson, Dee-Lite, Faith No More, George Michael, Guns N’Roses, Happy Monday, Information Society, INXS, Joe Cocker, Judas Priest, Lisa Stansfield, Megadeth, New Kids on the Block, Prince entre outras internacionais e as nacionais.

O Festival

rock-in-rio-1991-1377053916735_1024x768

A fama, o reconhecimento  e o Assédio …

A partir da apresentação do Faith no More na noite de 20 de Janeiro, a banda que até então era mais conhecida pelos  clipes na programação da  MTV, fez uma apresentação tão surpreendente quanto a esperada pelos fãs, assim o Faith no More ganhou muita popularidade em todo território nacional  se tornando frequente nas rádios e  HITS do álbum The Real Thing ficou nos tops e programações de rádio por muito tempo, originando uma segunda turnê meses depois.

rock2

Ao passar por Manaus,Rio, São Paulo, Recife entre outras cidades a banda se fez super popular no Brasil. Fãs alucinadas , Posters  em revistas TEEN, entrevista ao Fantástico, notas em jornais, que podem ser encontradas na revista veja e no acervo Folha de S. Paulo. O FNM virou febre, contagiando até no estilo de vestir dos adolescentes da época. Pois o bermudão  largo, Camiseta e Camisa Xadrez na cintura, era marca e referencia do rapazinho vocalista chamado de Mike Patton.

RIR_FNM

Saudades absurdas e febris daquela época. Nós, que já temos trinta e poucos anos ou mais, sabemos o que é boa música de verdade.  Não que hoje elas não existam. Sim, elas andam por ai em gavetas, mas é estranho observar tudo que pode mudar em duas décadas. Ou talvez, estamos apenas ficando velhos.

 

Trilha Sonoras nominadas ao Oscar 2014 serão divulgadas em 16 de Janeiro

Arcade Fire, M83, Mike Patton fazem parte da lista para o prêmio de Melhor Trilha Sonora Original.
114 trilhas sonoras são elegíveis para o Oscar musical – as nomeações serão revelados em 16 janeiro de 2014.

oscar

Arcade Fire, M83 e Mike Patton estão entre os artistas que fizeram a lista para o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original.

114 trilhas sonoras são elegíveis para a atribuição e Arcade Fire foi dado o aval para a sua pontuação for Her, de Spike Jonze, enquanto a pontuação do M83 para Oblivion dirigido por Joseph Kosinski e Mike Patton do Faith No More pontuação para Derek Cianfrance, The Place Beyond the Pines.

As indicações ao Oscar serão anunciados em 16 de janeiro de 2014. A cerimônia será realizada em Los Angeles em 2 de março.

Fonte/Source: NME

Pelas notas divulgadas pela imprensa Americana a Trilha Sonora de Mike Patton, parece estar bem cotada entre os 114 nomes que estão entre os sugeridos para concorrer ao Prêmio. Os 5 indicados serão revelados ainda este mês, no dia 16 para a Cerimônia que será realizada em 2 de março.

“Admission,” Stephen Trask, composer
“Ain’t Them Bodies Saints,” Daniel Hart, composer
“All Is Lost,” Alex Ebert, composer
“Alone Yet Not Alone,” William Ross, composer
“The Armstrong Lie,” David Kahne, composer
“Arthur Newman,” Nick Urata, composer
“At Any Price,” Dickon Hinchliffe, composer
“Austenland,” Ilan Eshkeri, composer
“Before Midnight,” Graham Reynolds, composer
“The Best Man Holiday,” Stanley Clarke, composer
“The Book Thief,” John Williams, composer
“The Butterfly’s Dream,” Rahman Altin, composer
“The Call,” John Debney, composer
“Captain Phillips,” Henry Jackman, composer
“Closed Circuit,” Joby Talbot, composer
“The Company You Keep,” Cliff Martinez, composer
“The Conjuring,” Joseph Bishara, composer
“Copperhead,” Laurent Eyquem, composer
“The Counselor,” Daniel Pemberton, composer
“The Croods,” Alan Silvestri, composer
“Despicable Me 2,” Heitor Pereira, composer
“Elysium,” Ryan Amon, composer
“Ender’s Game,” Steve Jablonsky, composer
“Enough Said,” Marcelo Zarvos, composer
“Epic,” Danny Elfman, composer
“Ernest & Celestine,” Vincent Courtois, composer
“Escape from Planet Earth,” Aaron Zigman, composer
“Escape from Tomorrow,” Abel Korzeniowski, composer
“Evil Dead,” Roque Baños, composer
“47 Ronin,” Ilan Eshkeri, composer
“42,” Mark Isham, composer
“Free Birds,” Dominic Lewis, composer
“Free China: The Courage to Believe,” Tony Chen, composer
“Fruitvale Station,” Ludwig Goransson, composer
“G.I. Joe: Retaliation,” Henry Jackman, composer
“Gangster Squad,” Steve Jablonsky, composer
“Gravity,” Steven Price, composer
“The Great Gatsby,” Craig Armstrong, composer
“The Hangover Part III,” Christophe Beck, composer
“Hansel & Gretel Witch Hunters,” Atli Örvarsson, composer
“Haute Cuisine,” Gabriel Yared, composer
“Her,” William Butler and Owen Pallett, composers
“The Hobbit: The Desolation of Smaug,” Howard Shore, composer
“Hollywood Seagull,” Evgeny Shchukin, composer
“Hours,” Benjamin Wallfisch, composer
“How Sweet It Is,” Matt Dahan, composer
“The Hunger Games: Catching Fire,” James Newton Howard, composer
“Identity Thief,” Christopher Lennertz, composer
“The Incredible Burt Wonderstone,” Lyle Workman, composer
“Insidious: Chapter 2,” Joseph Bishara, composer
“Instructions Not Included,” Carlo Siliotto, composer
“The Internship,” Christophe Beck, composer
“The Invisible Woman,” Ilan Eshkeri, composer
“Iron Man 3,” Brian Tyler, composer
“Jack the Giant Slayer,” John Ottman, composer
“Jobs,” John Debney, composer
“Kamasutra 3D,” Sreejith Edavana and Saachin Raj Chelory, composers
“Labor Day,” Rolfe Kent, composer
“Lee Daniels’ The Butler,” Rodrigo Leão, composer
“Live at the Foxes Den,” Jack Holmes, composer
“Love Is All You Need,” Johan Söderqvist, composer
“Mama,” Fernando Velázquez, composer
“Man of Steel,” Hans Zimmer, composer
“Mandela: Long Walk to Freedom,” Alex Heffes, composer
“The Missing Picture,” Marc Marder, composer
“Monsters University,” Randy Newman, composer
“The Mortal Instruments: City of Bones,” Atli Örvarsson, composer
“Mud,” David Wingo, composer
“Murph: The Protector,” Chris Irwin and Jeff Widenhofer, composers
“Now You See Me,” Brian Tyler, composer
“Oblivion,” Anthony Gonzalez and Joseph Trapanese, composers
“Oldboy,” Roque Baños, composer
“Olympus Has Fallen,” Trevor Morris, composer
“Oz The Great and Powerful,” Danny Elfman, composer
“Pacific Rim,” Ramin Djawadi, composer
“Pain & Gain,” Steve Jablonsky, composer
“Percy Jackson: Sea of Monsters,” Andrew Lockington, composer
“Philomena,” Alexandre Desplat, composer
“The Place beyond the Pines,” Mike Patton, composer
“Planes,” Mark Mancina, composer
“Prisoners,” Jóhann Jóhannsson, composer
“R.I.P.D.,” Christophe Beck, composer
“Reaching for the Moon,” Marcelo Zarvos, composer
“Romeo & Juliet,” Abel Korzeniowski, composer
“Runner Runner,” Christophe Beck, composer
“Rush,” Hans Zimmer, composer
“Safe Haven,” Deborah Lurie, composer
“Salinger,” Lorne Balfe, composer
“Saving Mr. Banks,” Thomas Newman, composer
“The Secret Life of Walter Mitty,” Theodore Shapiro, composer
“Short Term 12,” Joel P. West, composer
“Side Effects,” Thomas Newman, composer
“The Smurfs 2,” Heitor Pereira, composer
“The Spectacular Now,” Rob Simonsen, composer
“Star Trek Into Darkness,” Michael Giacchino, composer
“Stoker,” Clint Mansell, composer
“Thor: The Dark World,” Brian Tyler, composer
“Tim’s Vermeer,” Conrad Pope, composer
“Trance,” Rick Smith, composer
“Turbo,” Henry Jackman, composer
“12 Years a Slave,” Hans Zimmer, composer
“2 Guns,” Clinton Shorter, composer
“The Ultimate Life,” Mark McKenzie, composer
“Unfinished Song,” Laura Rossi, composer
“Wadjda,” Max Richter, composer
“Walking with Dinosaurs,” Paul Leonard-Morgan, composer
“Warm Bodies,” Marco Beltrami and Buck Sanders, composers
“We Steal Secrets: The Story of WikiLeaks,” Will Bates, composer
“We’re the Millers,” Theodore Shapiro and Ludwig Goransson, composers
“What Maisie Knew,” Nick Urata, composer
“Why We Ride,” Steven Gutheinz, composer
“The Wind Rises,” Joe Hisaishi, composer
“Winnie Mandela,” Laurent Eyquem, composer
“The Wolverine,” Marco Beltrami, composer

A 86 Edição do Oscar ® será anunciado ao vivo na quinta-feira janeiro 16, 2014, às 5:30 am PT no Samuel Goldwyn Theater da Academia.

Oscar ® para realizações de filmes pendentes de 2013 será apresentado no Oscar domingo 2 de março, 2014, no Teatro Dolby ® no Hollywood & Highland Center ®, e transmitido ao vivo na rede de televisão ABC. A apresentação Oscar ainda será televisionado ao vivo em mais de 225 países e territórios em todo o mundo.

Source: Oscars deadlines

EN – [ACERVO] Kerrang Issue 876 Mike Patton Interview – 1991

patton“I don’t know how people perceive my music, and I don’t honestly care,” states Mike
Patton bluntly. “If you give that notion a moment’s thought, you’ll quickly realise
it would be like fighting a losing battle. I learned that very early on. You just can’t win.”

This week sees the release of the debut album from Tomahawk, the latest in a long line of
projects to which Patton has lent his name since the messy conclusion of his former band,
Faith No More, in April 1998. Masterminded by former Jesus Lizard guitarist Duane Denison,
and also featuring former Helmet man John Stanier and ex-Cows/Melvins member Kevin
Rutmanis, Tomahawk combines the seminal Chicago slugger’s off-kilter sound and Patton’s
unmistakable vocals. Ironically, considering the latter’s backseat role, it’s
to closest thing to a new FNM that fans of the band are ever likely to hear.

But then Mike Patton has always been a bastion of contrariness. One of music’s true
mavericks, his solo output has far and away outstripped his former band in terms of
weirdness. FNM might have helped drag alternative rock into the mainstream, but during
his decade long tenure fronting the San Francisco fivesome, Patton seemed out of place –
and often downright uncomfortable – within the band’s ranks. Consequently, he indulged
in various low-key experimental solo projects (most notably 1996’s ‘Adult Themes
For Voice’ and 97’s ‘Pranzo Oltranzista‘ albums), all of which were the antithesis
of his parent band’s work.

Since the demise of FNM, Patton’s wilfully off-kilter musical vision has led to a slew
of eclectic, challenging releases. He’s worked with Japanese oddballs Melt Banana and
Milk Cult, put together Fantomas with Melvins frontman Buzz Osbourne, and continued to
front Mr Bungle, the outfit he put together as a 15-year old in Eureka, California and
has resurrected sporadically ever since. And then there’s Maladoror (an experimental
noise collaboration with Merzbow’s Masami Akita), Peeping Tom (a pop album recorded with
Gorillaz DJ Dan The Automator), a planned collaboration with East Coast screamo-types
The Dillinger Escape Plan, Patton’s own label, Ipecac, and of course the Tomahawk
project. Life, by the singer’s own admission, is “busier than ever”, to the point
where he suggests that there isn’t enough time to realise a 10th of the
ideas he has.

“While I can, I still like to put questions out there and purposefully not give
people what they think they want” he argues. “I’m out there, more than anything,
to cause people problems.”

Does it annoy you that people refer to you as ‘ex-Faith No More frontman, Mike Patton’?

Mike: “No. They wouldn’t be lying! I was in that band. If that’s their reference point,
that’s fine. I’m not ashamed of those years. It was a pretty good ride and I learned a
lot from it. I’m going to stay away from the forthcoming tribute album album though.
I’ll probably hear it some day and have my hearty belly laugh. I’m not sure why these
Nu-Metal bands say Faith No More influenced them. I mean, do you hear anything of what
we did in what they’re doing now? I think it’s quite a stretch of the imagination. I think
it’s just an era thing. They’re kids and probably around the time we were in the public
eye, those kids figured out they wanted to start a band too. I personally don’t want
to be held responsible for the swill they’re putting out into the world.”
Continuar lendo

en2
Não é segredo que a fusão Ennio Morricone e Mondo Cane, foi uma ideia atrevida e fadada a fracassar por qualquer motivo. Pela complexidade inclusive, pois, o maestro italiano não poupa detalhes e é algo que quem estava lá pôde notar em pequenos gestos e detalhes. O atraso, ou melhor dizendo a mudança de horário foi algo inevitável. Pois iniciar o concerto com Mondo Cane, seria tecnicamente impossível, coisa que o faro do bom  velho maestro notou de longe. E por fim, sem detalhar mais foi o que houve e provocou certo desapontamento as 12 mil pessoas mencionadas como presente no estádio bicentenário de la florida. Ennio Morricone executa cada tema como se fosse único. É impossível ouvi-lo e não se perder na imaginação.

Eu me localizava no setor ViP, melhor dizendo na segunda fileira e justamente no meio do palco. Bb9 era o ponto estratégico que não me deixou perder nenhum detalhe e assim como me proporcionou sonhos, muitos sonharam e se deixavam levar pela música. Não há indícios significativos ocasionados pela mudança de horário. Obviamente muitos não gostaram ou até mesmo tiveram problemas devido ao transporte público, que funciona até às 22 horas. A verdade é que depois de aproximadamente 120 minutos com Morricone… pausa. Troca de Palco, arrumações e um pequeno desconforto, mas tão grave que abalasse a atração esperada daquela noite Mike Patton e seu Mondo Cane.

mikepatton_carlosmuller

foto: Carlos Muller

De terno rosca de giz, camisa branca, suspensório e óculos. Exato óculos estilo lentes de leitura Mik Patton sobe ao palco para mais uma apresentação de uma de suas obras mais comerciais. Mondo Cane reúne grandes clássicos dos anos 70 e 80 da música Italiana, com a irreverencia que somente ele preserva. É natural para os fãs de Patton achar seus shows curtos. Aliás, seus shows raramente ultrapassam 60 minutos de duração. Mesmo assim, ele sabe fazer a coisa funcionar mesmo quando o horário já não está ao seu favor, esteja chovendo ou fazendo um sol do agreste.

Eis o show completo

Depois de tantas emoções o jeito é voltar ao hotel e dizer a si mesmo: Nossa, como passou rápido. Portanto Inesquecível